EDITORIAL: Impeachment, não. Cassação da Chapa Dilma/Temer, sim!

423 1
423 1

O NewsInfoco vem acompanhando desde o inicio as movimentações pró-impeachment, não só dos políticos, como também dos movimentos sociais que buscam incansavelmente destituir a presidente Dilma de seu posto. A crise econômica, o estelionato eleitoral, o esquema de corrupção sistêmico nas estatais, o fisiologismo politico sem precedentes são algumas das motivações para o tal pedido de impeachment. Soma-se a isso tudo a falta de competência de uma presidente que faz um Governo lastimável e que muitas vezes temos dúvidas se é ela quem governa ou se é ela que é governada. Tudo isso fez com que a população brasileira clamasse por mudanças, inclusive mudanças na presidência. Dilma não representa mais a maioria do povo brasileiro! Iniciou seu 2º mandato fadado ao fracasso. Isso, porque o voto que elegeu Dilma não foi um voto a favor da continuação de seu governo, mas sim um voto contra o projeto do PSDB. A verdade é que o modelo de gestão petista ruiu, não dá mais bons frutos. O toma lá da cá, a falta de escrúpulos, de moral e ética chegou a níveis tão baixos que a esperança, sentimento símbolo do povo brasileiro, escorre pelo ralo dia-após-dia. Não temos dúvida, Dilma não pode continuar sendo a presidente deste país! Há elementos jurídicos suficientes que podem comprovar que a campanha da presidente Dilma Rousseff foi feita irregularmente. Acontece que não basta só Dilma sair do poder, pois neste caso quem assumi é o vice Michel Temer. O Michel Temer foi o principal avalista do apoio do PMDB à reeleição de Dilma, faz parte do projeto e também sofre acusações de irregularidades durante a Campanha Presidencial. Ainda em seu desfavor, não conta com o respeito e a confiança do povo brasileiro. Não adianta você tirar uma presidente sem credibilidade e colocar um vice que também não tem credibilidade. Isso não tem racionalidade nenhuma.  O impeachment é falho nesse aspecto, porque destitui Dilma, mas deixa o vice Michel Temer. Conta contra o impeachment também o fato do descrédito do Congresso perante a população brasileira. O presidente da Câmara, Dep. Eduardo Cunha (PMDB-RJ), responsável pela aceitação do pedido de impeachment, é acusado de participar de esquemas de corrupção, é dado a maracutaias politicas e se mantém no cargo por meio de manobras, ou seja, o pedido de impeachment já nasce com a credibilidade baixa. Notem que o termo CREDIBILIDADE é o que permeia por este editorial, pois entendemos que a CREDIBILIDADE é a chave para sairmos da crise politica e econômica. Só um governo que conte com o respeito e a confiança do povo brasileiro é que pode ser capaz de nos tirar desses tempos nebulosos por qual passamos. E atualmente qual é o poder, dentre os 3 poderes, que detém maior credibilidade perante o povo? Não tenho dúvidas, é o Judiciário. Por tanto tem que vir pelas mãos do Poder Judiciário o vislumbre de uma nova etapa que traga esperança para a população. O TSE tem em suas mãos um pedido de cassação da chapa Dilma/Temer e acreditamos que é este o caminho. Só uma nova eleição será capaz de conduzir ao posto de presidente alguém com legitimidade popular capaz de implementar um projeto de Governo que realmente seja satisfatório. Não podemos fechar os olhos e dar uma carta branca para que Dilma continue a fazer nos próximos 3 anos o que fez nos últimos 6! Chega de incompetência, de mal caratismo, de estelionato eleitoral! Por outro lado não podemos deixar nas mãos de Temer a incumbência de conduzir o Brasil. Ele não transmite segurança e nem tem a reputação ilibada como tinha Itamar Franco, que sucedeu Collor quando este sofrera o impeachment. A solução é cassar a chapa Dilma/Temer pela via jurídica, não politica. Logo em seguida ser convocada novas eleições para que um amplo debate aconteça no Brasil, um debate que sirva para apontar novos rumos ao país e que o povo, soberanamente, possa escolher o melhor caminho. Conclamamos os jovens, os cidadãos de bem deste país para que refutem o Impeachment veementemente e que abracem a cassação da chapa Dilma/Temer no TSE. O povo brasileiro precisa acreditar em novos tempos.

 

Compartilhe
In this article

Join the Conversation

1 comment

  1. Hosting Responder

    Acreditamos que houve crime de responsabilidade, entao e um processo perfeitamente aceitavel. Partimos da ideia do Paulo Brossard de que o impeachment e um processo politico, perfeitamente cabivel, mas tambem passa disso. O impeachment e pouco, acreditamos que deveria acontecer a cassacao da chapa da Dilma pelo uso de dinheiro do Petrolao.

+
+