Alagoinhas e os percalços do Governo Paulo Cezar – Por Caio Pimenta

1845 0
1845 0

caio

Por Caio Pimenta

Bacharelando em Direito

Colunista do NewsInfoco

Este ano de 2016 tem sido de muita dor de cabeça para o prefeito Paulo Cezar. Após 7 anos de gestão, sofrendo sucessivos ataques da oposição, debandadas de velhos aliados e frequentes críticas de parte da imprensa alagoinhense, PC assiste, apreensivo, os últimos meses de seu Governo.

Acusações de ingerência, irregularidades na Secretaria de Assistência Social, crise no SAAE, que culminou na instalação de uma CPI da qual o prefeito é um dos depoentes, indícios de enriquecimento patrimonial durante o mandato e favorecimento a aliados são algumas das bandeiras de seus opositores, que tentam assim enterrar as futuras aspirações de um dos prefeitos mais populares que Alagoinhas já viu.

Passando pelas zonas rurais e periféricas da cidade, a população mais pobre mostra ter por Paulo Cezar uma relação de evidente afeto. Menções ao fato do atual prefeito ser uma pessoa popular, falar com um povo, ser carismático, entram em contraste com as acusações daqueles que tentam desqualificar seus 7 anos de gestão, apontando várias irregularidades em seu governo.

De um lado um governante carismático e popular. Do outro, um ser incompetente e desonesto. Quem está com a razão?

Em 7 anos de mandato Paulo Cezar elevou Alagoinhas a um patamar de crescimento formidável, vários investimentos vieram para cá, assim como obras e indústrias, o que gerou um aumento na geração de emprego e na arrecadação do município. Ele governou quase todo esse tempo com um leque de apoio confuso, que ia desde o PT estadual até o apoio do DEM na figura do deputado federal Paulo Azi. Na Câmara de Vereadores tinha ampla maioria, chegou a ter apenas 3 opositores, num parlamento composto por 17 vereadores! Nos noticiários apenas boas noticias, que iam desde inaugurações de postos de saúde, reformas de escolas, até a responsabilidade financeira e o crescimento econômico da cidade.

Mas com o vislumbre do pleito eleitoral o jogo começa a mudar de figura. Desentendimentos com a escolha do candidato que deveria ser apoiado pelo prefeito rachou a complicada composição partidária que dava sustentação ao seu governo. De um dia para o outro velhos aliados viraram novos opositores, que se juntando aos “velhos opositores” começaram a dar dor de cabeça a um Governo que escondia certas fragilidades. Daí começou uma avalanche de denuncias que competia com os mais de 70% de aprovação que Paulo Cezar detinha junto ao eleitorado Alagoinhense.

No decorrer da eleição, uma das mais concorridas dos últimos tempos, o desgaste de 7 anos de gestão ficou latente e a candidata escolhida pelo prefeito perde para o candidato dos “velhos aliados, novos opositores”.

Após o fim da eleição atraso de pagamentos, funcionários despedidos, indícios de problemas financeiros começam a despontar quase que diariamente. Paulo Cezar passa a ter o seu legado ameaçado por uma velha oposição ressentida e um novo governo querendo mostrar que embora tivesse feito parte de sua gestão, não concordava com tudo.

Com isso as pavimentações, o programa de requalificação urbana, as inaugurações de postos de saúde, as reformas das escolas municipais, a inauguração do restaurante popular e tantos outros feitos do Governo Paulo Cezar vão sumindo, dando lugar às denúncias dos opositores, que pouco a pouco vão sangrando o governo Cezista.

Veja só como é a política. Como terminará o Governo Paulo Cezar?

Compartilhe
In this article

Join the Conversation

+
+