Polêmica: Prefeito Joaquim Neto e ex-prefeito Paulo Cezar discutem paternidade da CAF na 95 FM

5237 0
5237 0

Hoje(21), no programa Primeira Mão, da 95 FM, o clima esquentou entre o prefeito Joaquim Neto e o ex-gestor Paulo Cezar. O motivo? O empréstimo da CAF.

Ancorado pelo radialista Haroldo Azi, o programa radiofônico virou palco de uma disputa que relembrou o período eleitoral, além de trazer à tona mágoas do ex-gestor Paulo Cezar com relação ao governo atual.

Ao dar entrevista ao programa, Joaquim Neto falava das ações de seu governo e as obras da CAF quando foi questionado pelo radialista Haroldo Azi sobre quem teria sido o grande responsável pela vinda dos recursos do empréstimo para o município. Joaquim respondeu afirmando que os méritos seriam do deputado federal Paulo Azi.

Neste momento, por telefone, Paulo Cezar faz uma intervenção no programa e revela a mágoa que sentia em não ter sido convidado para a solenidade de assinatura da CAF, colocando que teve papel fundamental na vinda do empréstimo para a cidade. “Se eu quisesse barrar a CAF, eu teria barrado “, disse o ex gestor, dando a entender que deixou tudo pronto para o seu sucessor ter direito aos recursos.

Joaquim Neto rebateu afirmando que encontrou o município sem nenhuma condição de receber o empréstimo. Segundo Joaquim, a prefeitura estava inadimplente, sem condições de firmar convênios e receber recursos federais, além de possuir um débito de 32 milhões de reais. Tudo, de acordo com o prefeito, foi sanado pela sua gestão.

Joaquim foi além e afirmou que não existia projeto arquitetônico deixado pelo governo Paulo Cezar, o que dificultava o inicio das obras. “Eu entrego meu mandato hoje se aparecer o projeto da ex-gestão”, desafiou o mandatário.

Para fomentar a polêmica, a ex-secretária de infraestrutura, Sonia Fontes, por telefone, desmentiu Joaquim dizendo que existia projeto e que o mesmo se encontrava na SEINFRA. Sonia falou que o projeto continha 6 volumes entre obras de drenagens, pavimentação, praças e avenidas. O bate boca continuou.

A situação teve grande repercussão e não se falava em outra coisa nas ruas da cidade e nas redes sociais.

O povo agora se pergunta, quem tem razão?

Por Caio Pimenta para o News Infoco

 

Compartilhe
In this article

Join the Conversation

+
+