Aplicativo título de eleitor: como funciona o e-Título?

55 0
55 0

O aplicativo título de eleitor – também chamado de e-título – mostra que o Governo Federal está realmente disposto a investir em novas tecnologias para seus usuários. Nos mesmos modelos da adoção da CNH Digital, o E-Título é a versão totalmente digital do documento, capaz de substituir a versão em papel.

Inicialmente proposto pelos Tribunal Regional Eleitoral do Acre, a inciativa foi vista com bons olhos pelo Tribunal Superior Eleitoral, que deu início à implementação nacional em dezembro. Saiba mais sobre o aplicativo que já está disponível para os usuários brasileiros:

No que consiste o aplicativo título de eleitor?

A aplicativo título de eleitor é um app de smartphone – baixado normalmente pelas App Store ou Google Play – que é capaz de substituir o título impresso de eleitor na hora de votar. Isso significa que seu documento físico pode ficar guardado na gaveta, desde que você leve o celular.

Sem custos de uso, nem complicações para a instalação, o sistema promete tornar a vida dos eleitores mais prática, além de reduzir burocracias com a necessidade de impressões de segunda vida.

Quais são as vantagens do e-título?

As duas principais vantagens do e-título – nome dado ao aplicativo título de eleitor – são, sem dúvidas, a praticidade e a economia pública. No lado da praticidade, o simples fato de não ser necessário procurar o título de eleitor e levar este documento (que só é utilizado uma vez a cada dois anos) já é um ganho e tanto, além de evitar problemas como sua perda ou danificação.

No lado da economia pública, a estimativa é que a adoção do aplicativo reduza significativamente os custos de impressão e material para fornecimento de documentos físicos, fazendo com que ele seja pago a longo prazo.

Além destas duas vantagens, somam-se fatores como os ecológicos e as possibilidades de implementação de novas tecnologias. Fala-se, por exemplo, na possibilidade de adicionar a função de conferir sua quitação em relação ao sistema eleitoral, bem como eventuais dívidas (por não votar e não justificar, por exemplo).

Possibilidade de cadastramento biométrico

Quem já fez o cadastro biométrico para votar em sua cidade utilizará a versão do aplicativo que apresenta a mesma foto tirada no dia do cadastro. Isso significa que, na hora do voto, o aplicativo título de eleitor substituirá todas as documentações necessárias, bastando apresenta-lo aos mesários.

 

Quem ainda não fez o cadastro biométrico pode fazer na junta eleitoral de sua cidade ou, então, utilizar o app sem foto. Neste segundo caso, será necessário levar algum documento oficial com foto, para conferência dos mesários (assim como já é feito com o documento em papel atual).

Quanto custará?

A boa notícia é que, por se tratar de uma documentação obrigatória, o uso do aplicativo será totalmente gratuito – assim como é a retirada do título de eleitor. O desenvolvimento do app é bancado pelo Tribunal Superior Eleitoral, apostando na economia que ele gerará a longo prazo no que diz respeito ao gasto de material físico com documentação.

Quando será implementado?

 

É exatamente aqui que a novidade é mais interessante: o e-título já deve ser aceito nas eleições de 2018. Outra boa notícia é que, para aqueles que não querem optar pela versão digital do documento, não há obrigatoriedade de atualização.

Significa dizer que se trata de uma opção sem custos adicionais para o eleitor, que pode evitar o transtorno de buscar o título de eleitor que, muitas vezes, está escondido entre tantos outros documentos.

Os usuários de Android e iOS já podem baixar o sistema e fazer o cadastro, que é razoavelmente simples. Quem ainda não tem o cadastro biométrico, deverá utilizá-lo junto a um documento com foto, durante as eleições. Quem possui o cadastro pode comparecer ao colégio eleitoral simplesmente com o smartphone onde o app está instalado.

Fonte:Direitosbrasil
Compartilhe
In this article

Join the Conversation

+
+