Mutirão do Programa Primeiro Emprego cadastra jovens em Serrinha

43 0
43 0

O mu­tirão en­vol­vendo a atu­a­li­zação ca­das­tral e o en­ca­mi­nha­mento dos habilitados para a con­tra­tação através do Pro­grama Pri­meiro Em­prego (PPE), no Centro Territorial de Educação Profissional do Sisal, no município de Serrinha, atendeu mais de 330 jovens e destes 152 foram encaminhados para contratação. A ação na cidade, realizada na quarta (7) e quinta-feira (08), foi uma realização da Se­cre­taria da Educação do Es­tado da Bahia, jun­ta­mente com a Se­cre­taria do Tra­balho, a Fun­dação Es­tatal Saúde da Família (FESF), a Fun­dação Luís Edu­ardo Ma­ga­lhães (FLEM) e a Casa Civil. O objetivo é agi­lizar a contra­tação de jovens egressos do En­sino Pro­fis­si­onal da rede pú­blica es­ta­dual no PPE.

O coordenador de Articulação dos Núcleos Territoriais de Educação, José Barreto, destaca o sucesso dos mutirões do Programa Primeiro Emprego já realizados. “A articulação da Secretaria da Educação com as demais secretarias e órgãos envolvidos para a realização dessa ação tem sido muito positiva e a ideia é realizarmos em todos os Territórios, como já aconteceu em Itabuna e em Jequié, bem como em Santo Antônio de Jesus, quando atendemos 515 egressos, sendo que destes 184 foram encaminhados e 100 já estão com a carteira assinada”, destaca o gestor, acrescentando que entre os dias 20 e 23, serão realizados os mutirões da capital baiana e da Região Metropolitana de Salvador, em locais a serem definidos.

A diretora do CETEP do Sisal, Ledna Sacramento, conta que durante o primeiro dia de cadastramento, até a manhã desta quinta, foram atendidos 328, sendo que 149 estudantes já foram encaminhados. “Estou bem emocionada com esta ação porque vejo alunos nossos sendo inseridos para o mundo do trabalho de imediato e isto causa neles uma alegria imensa. Considero o Programa Primeiro Emprego não só uma oportunidade empregatícia, mas também uma forma de estimular os alunos a estudarem mais, já que o ranking de notas conta na hora da seleção”, ressalta a gestora.

Atualização cadastral – Po­dem re­a­lizar a atu­a­li­zação ca­das­tral e ve­ri­ficar se são ele­gí­veis para vagas no programa os egressos de 2015, 2016 e 2017 da Edu­cação Pro­fis­si­onal que aten­derem às con­di­ções para par­ti­cipar do PPE (con­clusão de curso e de es­tágio). O candidato precisa apresentar os seguintes documentos: carteira de trabalho, carteira de identidade (RG), CPF, carteira de reservista, título de eleitor, último comprovante de votação, comprovante de residência, currículo atualizado, diploma ou histórico escolar, certidão de casamento, certidão de nascimento caso tenha filho, cartão de vacinação (dependente com até cinco anos de idade), comprovante de escolaridade (dependente após seis anos), conta bancária, duas fotos 3×4. Além disso, o candidato não pode ter a carteira assinada por mais de um ano e precisa ter feito o estágio completo na área.

A ex­pec­ta­tiva da Se­cre­taria da Edu­cação do Es­tado é que sejam atendidos 500 egressos por Território nos 57 cursos ofe­re­cidos pela Edu­cação Pro­fis­si­onal, entre os quais Ad­mi­nis­tração, Téc­nico em En­fer­magem, In­for­má­tica, Segurança do Trabalho, Logística, Análise e Se­cre­tário Es­colar.

O can­di­dato que for ele­gível para a vaga terá a Car­teira de Tra­balho as­si­nada, com todos os di­reitos ga­ran­tidos. O con­trato tem du­ração de 24 meses no Es­tado. A re­mu­ne­ração nas ins­ti­tui­ções pri­vadas é a partir de um sa­lário mí­nimo; já nas Fun­da­ções, o con­tem­plado terá, além de sa­lário mí­nimo, plano de saúde (PLAN­SERV), ali­men­tação, vale trans­porte e pro­cesso for­ma­tivo vin­cu­lado a sua área e ao ser­viço pú­blico. Para aqueles que con­cluíram as dis­ci­plinas, mas não fi­na­lizou o es­tágio obri­ga­tório, po­derá haver en­ca­mi­nha­mento para es­tágio re­mu­ne­rado em ór­gãos pú­blicos.

Pri­meiro Em­prego – O Programa Primeiro Emprego é uma ação so­cial de com­bate ao de­sem­prego dos jo­vens, pro­mo­vido pelo Go­verno do Es­tado, para in­serir egressos e es­tu­dantes da Edu­cação Pro­fis­si­onal no mer­cado de tra­balho, além de es­ti­mular uma maior de­di­cação na sala de aula, jus­ta­mente por con­tem­plar aqueles com me­lhores re­sul­tados. Para que os es­tu­dantes e egressos sejam con­ta­tados, em caso de se­leção, é im­por­tante que es­tejam com seus dados ca­das­trais atu­a­li­zados no banco de dados da Se­cre­taria Es­ta­dual da Edu­cação.

Fonte:Seduc-ba
Compartilhe
In this article

Join the Conversation

+
+