“Governo baiano abandonou o setor de turismo no estado”, diz líder da Oposição

0
Na foto o lider da oposição na ALBA Luciano Ribeiro

A Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia levantou a voz hoje (16/10) contra as perdas para o turismo no estado. A avaliação crítica, em relação a gestão do turismo aumentou após o anúncio do fechamento do Bahia Othon Palace Hotel, localizado em Ondina a partir do dia 18 de novembro.

O fechamento do Othon ocorre quase três anos após o encerramento das atividades pelo Hotel Pestana, no bairro do Rio Vermelho. Somente nos últimos cinco anos, 22 hotéis fecharam as portas em Salvador e apenas dois foram abertos, conforme informações da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (Abih-BA).

Para a Oposição, o fato é uma prova da lacuna, em relação aos investimentos no turismo pelo Governo do estado. Entre as motivações para a baixa, considera-se a grave ausência do Centro de Convenções, que infelizmente está fechado há três anos. “Infelizmente o Governo da Bahia abandonou o turismo. Houve um descaso grande desse Governo com o Centro de Convenções, o que gerou uma perda de mais de R$200 milhões por ano, em negócios com a falta de funcionamento do espaço. Há três anos, o estado vem perdendo com a incompetência do Governo nessa área”, lamentou o líder da Bancada de Oposição, Luciano Ribeiro (DEM).

O investimento em Turismo não foi considerado pelo Governo na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2019, sendo essa uma cobrança feita pela Bancada, que apresentou emenda pedindo a prioridade para o setor. Em 2017 houve uma queda em 60% no setor do turismo na Bahia, além disso nesse mesmo ano, a Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur) devolveu ao governo federal, ou seja deixar de aproveitar R$14,3 milhões, que poderiam ter sido investidos no setor no estado.

Consta que houve uma redução gradual da oferta de voos para a capital baiana e uma deficiência estrutural do aeroporto por muitos anos. Além disso, aponta-se a falta de competitividade e principalmente de políticas de atração do governo baiano para o turismo no estado, o que prejudicou todo o sistema em cadeia: bares, restaurantes, transportes, hospedagens, gerando perdas para o PIB, a arrecadação de impostos e o crescimento da renda e do emprego.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *