Atlético de Alagoinhas completa 49 anos de fundação

1

O Alagoinhas Atlético Clube, time do coração do torcedor de Alagoinhas e uma das equipes mais simpáticas do futebol baiano, completa hoje, terça-feira, dia 2 de abril, mais um ano de existência. Fundado no ano de 1970 o Carcará completa neste ano de 2019, 49 anos de existência.

Fundação

Após análises dos sucessivos sucessos dos campeonatos de futebol amador da cidade de Alagoinhas, em que se destacavam o Grêmio, Ferroviário, Agulha, Juventus, Botafogo e Gato Preto, e das participações da Seleção Alagoinhense nos campeonatos intermunicipais de seleções, com a inauguração do Estádio Municipal Antônio de Figueiredo Carneiro (Estádio Antônio Carneiro – o Carneirão), os desportistas de Alagoinhas, resolveram fundar e inscrever um clube para disputa do Campeonato Baiano de Futebol. Como o clubismo era muito grande, foi consenso a fundação de outro clube que não os já existentes, daí o Alagoinhas Atlético Clube, fundado em 2 de abril de 1970.

Escudo e Bandeira

Sócio fundador, conselheiro e torcedor apaixonado, Saturnino Peixoto Pinto concentrou seu poder de imaginação para criar o escudo do Atlético, clube de seu coração e, explicando seu significado: “O escudo é de forma circular e sua periferia é contornada por uma roda dentada com 16 dentes em esmalte sable (preto), significando pela forma, o trabalho e, pela cor, a prudência e o poder. Segue-se a faixa concêntrica em metal prata (branco), significando pureza e paz, Nessa faixa está colocada a legenda Alagoinhas Atlético Clube, sendo separada por três estrelas que representam os elementos da natureza: Terra, Água e Ar. O círculo central, em esmalte galês (vermelho), significa soberania e luta e nele está localizada as letras “AAC”, de traçado concêntrico e em metal prata (branco)”.

Símbolo e mascote

Para a festa que a cidade de Alagoinhas preparou para inauguração do Estádio do Carneirão em 24 de janeiro de 1971, com o jogo Bahia 3 – 1 Corinthians (que tinha como principal atração o tricampeão mundial Roberto Rivelino) foi reservado a emoção de naquele dia, ver nascer o símbolo do Atlético, o Carcará.

O “pai da idéia” foi o desportista, conselheiro e sócio-fundador Heraldo Aragão. Com outros desportistas (Edvalson Lima e Walter Campos), todos eles sentiram a necessidade de criarem um fato que lembrasse o Atlético, nesse evento, que seria a invenção do símbolo do clube. O Radialista Antonio Pondé visualizou um boneco, com a cabeça em forma de laranja, para ser o mascote, o que não vingou. Na época, havia um feirante que vendia folhas medicinais que possuía um pássaro, o carcará, que fora lembrado por Heraldo e, procurando-o, combinou para no dia dessa festa, levasse seu pássaro para o estádio e desse uma exibição diante da torcida. Foi uma sensação, mas diante de tanta gente, o animal ficou assustado e, bateu asas sumindo, levando o dono ao desespero, pela perda, vindo a cobrar do pai da idéia, a quantia de 50 mil cruzeiros de indenização. Mas felizmente o pássaro voltou, para alegria não só do dono, como também, de Heraldo Aragão que seria obrigado a desembolsar tal quantia. A partir daí, o Carcará, já consagrado, passou a ser o símbolo do Atlético.

Comentário de André Luiz

Amigo leitor do site News Infoco, eu não poderia deixar de nessa data tão especial para o futebol alagoinhense tecer o meu comentário. Nos tempos atuais, no alcance destes 49 anos, o torcedor Atleticano tem muito a comemorar nessa data de hoje. Primeiro que 2019 marca o retorno do Atlético a primeira divisão do campeonato baiano, conquistando a terceira colocação na competição, o que rendeu ao Carcará a possibilidade de disputar em 2020, ano que o clube vai completar 50 anos, a possibilidade de disputar duas competições a nível nacional: a série D do campeonato brasileiro e a Copa do Brasil, diga-se de passagem de forma inédita para o futebol de Alagoinhas. Deixando claro que quando a Catuense participou desta competição, representava na oportunidade a cidade de Catu.

Esse ano de 2019 também foi marcado pela excelente e decisiva participação do torcedor do Atlético aos estádios da Bahia, seja no Carneirão, onde foi campeão de renda, ficando atrás apenas do Bahia da capital, ou nos demais estádios da Bahia onde a torcida do Carcará sempre esteve representado pela sua torcida.

Parabéns Atlético. Vida longa ao Carcará mais amado do mundo.

Avante Alagoinhas, prá frente meu Atlético

*André Luiz escreve para a página de esportes do site News Infoco, assina a Coluna De Olho no Esporte no mesmo site, além de ser comentarista esportivo do Programa Primeira Mão, da rádio 95,7 FM de Alagoinhas.

Uma resposta para “Atlético de Alagoinhas completa 49 anos de fundação”

  1. Lembrar desses fatos, me trouxe muita saudade dessa época áurea. Convivi com todos eles e a história é autêntica. Peço vênia para acrescentar Belmiro Deusdete e José Carlos Bacelar. Por fim, darei um pulinho no céu para abraçar TiãoTimbeta. É muita saudade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *