Para Instituto responsável pela organização do concurso da prefeitura de Alagoinhas, aplicação da prova foi um sucesso

0
concurso

O Instituto Nosso Rumo, responsável pela organização do concurso da prefeitura de Alagoinhas. emitiu no começo da noite deste domingo(14) um relatório, ao qual o site News Infoco teve acesso, trazendo dados sobre o processo de realização da prova.

Durante todo o dia de hoje, candidatos relataram irregularidades na aplicação da prova, desde falta de infraestrutura para receber os candidatos nos locais de prova, até denuncias de utilização de celulares para pesca no certame. O senso de desorganização chamou a atenção de vereadores da cidade que se deslocaram a alguns locais onde ocorriam a aplicação das provas, e segundo eles as denuncias tinham procedencia.

Por outro lado, o Instituto não só discorda dessas denuncias como também se sentiu incomodada com as acusações. No relatório, ela se refere a estas manifestações como “comentários e boatos sem base técnica de sustentação”. Para o instituto “a aplicação da prova foi um sucesso”.

De acordo com o relatório, do total dos 8749 candidatos inscritos, 1307 candidatos estiveram ausentes, sendo registrado um índice de ausência de 14,90%, o que é considerado dentro dos padrões pelo Instituto. Também consta no relatório, a exclusão de apenas um candidato por toque de celular.

Ainda de acordo com a organizadora do certame, os candidatos que solicitaram condição especial no ato da inscrição, foram atendidos, mediante a laudo encaminhado, exceto para casos de lactantes e solicitações de provas ampliadas, sendo atendidos em sua plenitude.

O Instituto também afirma que todos os critérios de segurança foram aplicados, dentre eles: utilização de lacres antes e após a aplicação das provas, nos malotes de cadernos de questões e folhas de repostas, que são personalizados com numeração própria e logomarca do Instituto; início simultâneo das provas em todos os locais de aplicação; coleta de 3 assinaturas do candidato na frente da folha de respostas; obrigatoriedade de permanência do candidato no local de prova por duas horas para os cargos com discursiva e objetiva e uma hora e trinta minutos para os cargos somente com objetiva; o tempo total de prova foi de quatro horas para os cargos que compõem as etapas de discursiva e objetiva e três horas para os cargos que tinham somente de prova objetiva

Apesar do relatório emitido pelo Instituto Nosso Rumo, de acordo com informações do Correio da Bahia, o MP-BA, diante dos indícios de irregularidades, vai investigar o processo de aplicação da prova.

Por Caio Pimenta para o News Infoco

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *