Alagoinhas: Antes de decisão do prefeito, MP recomendou cancelamento do Concurso Público

0

O dia de hoje(08) foi marcado pelo cancelamento do resultado do Concurso Público da prefeitura de Alagoinhas. A decisão causou estranheza de grande parte da população por contrariar um parecer emitido pela Secretaria Municipal de Administração(SEMAD) semana passada, que defendia a validade do certame.

A lisura do concurso público cancelado no dia de hoje foi contestada desde o dia da aplicação da prova, onde candidatos denunciaram a falta de organização da empresa responsável pelo certame, o Instituto Nosso Rumo. Segundo eles, houve candidatos que conseguiram usar celulares para pescar na prova, além de falta de carteiras em algumas salas. Na oportunidade, eles pediram o cancelamento do concurso. ( veja aqui ). Nas redes sociais fotos de divulgação da prova e filmagens com supostas denuncias de alunos fazendo prova em grupo também causaram polêmica.

Revoltados com toda a desorganização e os indícios de irregularidades, alguns candidatos procuraram o Ministério Público Estadual que abriu um processo de apuração das denúncias. O resultado dessa apuração saiu no dia de ontem(07) e deliberou pelo cancelamento do concurso.

O site News Infoco teve acesso ao teor da conclusão do MP. Nela, a promotora Teresa Jozilda, rebate praticamente todos os pontos defendidos pela prefeitura no parecer divulgado no último dia 03 de maio ( veja aqui ).

O MP concluiu que não haviam salas suficientes para candidatos em pelo menos um local de prova, a faculdade Santo Antonio, onde a desorganização foi tanta que até a Policia Militar teve que ser acionada para controlar a situação. Outra irregularidade apontada, foi que a mesma prova utilizada no turno matutino, foi aplicada no turno vespertino. Para a promotora que proferiu a conclusão, o principio da igualdade foi violado no processo.

O MP também concluiu que a falta de organização foi generalizada e ocorreu em diversos locais de prova. O relatório afirma que não havia fiscalização dos candidatos que solicitavam o uso dos sanitários, bem como não havia detector de metais para saber se estes candidatos portavam celulares. Estes celulares, inclusive, foram guardados em sacos transparentes e não foram recolhidos pelos fiscais da prova. O lacre era improvisado com apenas um nó, o que poderia ser facilmente desfeito pelo candidato.

Devido a tudo isso, o Ministério Público enviou uma recomendação à prefeitura de Alagoinhas para que procedesse a anulação do concurso. Veja abaixo a decisão proferida pelo MP.

Decisão do MP

Em contato com o site News Infoco, a secretaria municipal de administração, Leila Vila Flor afirmou que a decisão do MP só foi entregue à prefeitura de Alagoinhas, as 11:30 da manhã de hoje e que a decisão da prefeitura foi tomada em momento anterior ao conhecimento da conclusão do órgão

Por Caio Pimenta para o News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *