Heineken prepara investimento de R$ 550 milhões no Brasil, mas nada em Alagoinhas – Por Hugo Azi

0
Hugo Azi

O Grupo HEINEKEN no Brasil, segunda maior cervejaria do País, anunciou, em reunião na Investe SP – Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, que fará um investimento de R$ 550 milhões no estado de São Paulo.

O aporte faz parte da estratégia de expansão da empresa e visa a modernização de suas cervejarias Araraquara, Itu e Jacareí, além de sua micro cervejaria em Campos do Jordão (Baden Baden). O grupo também abrirá um novo centro de distribuição no interior paulista, ainda em 2019.

Pois é meus amigos, a Heineken prepara aporte de R$ 550 mi no Brasil. Todo o dinheiro irá para o estado paulista e nada para Alagoinhas. A empresa considera o Sudeste do país como mercado estratégico para o segmento de cervejas premium. O recurso bancará a abertura de mais um centro de distribuição no interior do estado de São Paulo ainda neste ano.

Não só de investimento em fábricas, em modernização de maquinário e expansão de mercado que a Heineken destina seu capital.

O Grupo Heineken no Brasil anunciou recentemente sua estratégia de sustentabilidade e as metas para contribuir com o desenvolvimento socioambiental do país nos próximos três anos. O novo compromisso, que reforça a consolidação do Grupo no mercado brasileiro, é firmado juntamente com a inauguração de seu parque eólico em Acaraú, no Ceará.

Com capacidade para gerar 112 mil MWh/ano, o parque eólico é a primeira instalação de uma cervejaria no país e o maior da Heineken no mundo. A iniciativa, que contou com investimentos na ordem de R$ 200 milhões, conta com 14 aerogeradores e tem estrutura capaz de gerar o equivalente a 30% de toda a energia elétrica consumida pelas 15 cervejarias da companhia no Brasil.

Faço uma pergunta aos leitores desta coluna, além do investimento inicial da fábrica para operar em Alagoinhas, qual outro aporte financeiro trouxe à cidade? Alguém já ouviu falar em investimento ambiental em Alagoinhas? Ou qualquer outro investimento para fomentar e atrair atividade de marketing para a região?

Infelizmente, nenhuma fábrica da cidade. Nem a Itaipava, nem a Goob, nem qualquer outra.

Não vemos tais empresas se importarem com a promoção da região de Alagoinhas. Não vemos ações de publicidade, preocupação com o desenvolvimento da região. NADA!

Todos sabemos que o comércio de Alagoinhas é o principal ramo econômico da cidade. E, nos últimos anos, houve um “boom” na vinda de fábricas voltadas ao ramo de bebidas. Por um simples e único motivo, A ÁGUA!

Nossa água é considerada uma das melhores do mundo, mais especificamente, a segunda melhor do mundo e não existe nenhuma promoção acerca desse assunto. O comércio de Alagoinhas não se interessa, as fábricas não se interessam e quem só perde é a própria cidade.

A prefeitura precisa atuar nessa área. Precisa convencer tais fábricas que é necessário o investimento na cidade. Com todo respeito ao estado de São Paulo, mas eles não têm a segunda melhor água do mundo. Com todo respeito aos ventos do Ceará, mas eles não têm uma água tão pura e com padrões físico-químicos como a nossa.

Prefeito, nós temos mais que ouro e petróleo debaixo da terra, temos água de qualidade. Que em breve valerá mais que qualquer outra coisa. Vamos investir nela.

A prefeitura precisa ser mais firme com as fábricas. Convencer esses empresários que é de extrema importância a sustentabilidade dos lençóis freáticos também. Nossa cidade merece mais. Não vamos aceitar menos, temos nosso tesouro também.

Hugo Azi é advogado formado pela faculdade Ruy Barbosa, Pós-graduado em Direito Empresarial pela FGV/SP, sócio do escritório Carlos Andrade Advogados Associados e colunista do site News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *