Com restrição orçamentária, ações da SEDEA em Alagoinhas são custeadas praticamente com pagamento de multas

0

Mesmo com restrição de orçamento, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (SEDEA) realiza ações de fiscalização e de educação ambiental no município. Segundo o responsável pela pasta, José Edésio, em entrevista concedida ao programa Primeira Mão na manhã desta quarta-feira(11), grande parte do recurso disponível para o setor vem justamente das multas cobradas por infrações. Este sistema que quase que se retroalimenta é que permite a realização de ações como Fórum de Meio Ambiente e Sustentabilidade, que ocorre neste mês de setembro nos dias 16 a 18, no Centro de Cultura.

A recomposição da área verde tem sido também uma das diretrizes do Governo Joaquim Neto que tem um compromisso com o Ministério Publico de plantar 4.500 mudas até o final do atual mandato, por conta dos impactos ambientais do aterro público. Mais de mil mudas de espécies como ipê, pau-brasil e palmeira foram utilizadas para recompor parte da área florestal do Aterro Sanitário. No Miguel Velho, no ano passado, várias matas ciliares foram replantadas. A SEDEA também se esforça para conter a poluição sonora, que é um dos problemas ambientais mais relevantes da cidade, mas o secretário alega que os autuados sempre recorrem a meios políticos para fugir da punição.

Acompanhe a entrevista do secretário de desenvolvimento econômico e meio ambiente, José Edésio, no Programa Primeira Mão:

 

Por Paulo Dias para o News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *