Presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina recebe titulo de cidadão soteropolitano

0

A presidente da  AFATOM-BA, Rejane de Oliveira dos Santos, vem agradecer ao vereador Cezar Leite pela honraria e título de cidadão soteropolitano concedidos ao Presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina Dr. Antonio Geraldo da Silva. Ele também é Diretor da Associação Brasíleira de Psiquiatria.

A ação, ao mesmo tempo que torna pública a importância e a alegria de ter como cidadão da capital da Bahia o psiquiatra Dr. Antônio Geraldo da Silva, que sempre teve a sua trajetória em prol dos pacientes com doenças mentais, promove a relevância da campanha Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio, trazida ao Brasil em 2014 pelo médico e hoje a maior do mundo. Dr. Antônio Geraldo também desenvolveu a campanha de combate a Psicofobia, que é o preconceito sobre pessoas com doenças mentais, sobre os tratamentos e sobre os profissionais envolvidos.

“Negar a doença mental e seu tratamento de acordo com as garantias à dignidade, nas  individualidades e específicidades de cada pessoa, conforme estabelecido na lei 10.216/2001, para que ela tenha saúde mental restabelecida é psicofobia, é negar a vida e a dignidade humana”, afirma  a senhora Rejane Santos.

Rejane Santos conta que o Governo do Estado publicou uma portaria que propõe desativação de serviços essenciais da Rede de Atenção Psicossocial, a 352 que tem a desinstitucionalização vinculado a desativação dos hospitais psiquiátricos, uma vez que utiliza os serviços substitutos baseando-se na portaria 3088/2011, que não está mais em vigor desde dezembro de 2017, quando foi publicada a resolução CIT 32 e a portaria 3588/2017, ambas do Ministério da Saúde.

A resolução CIT 32 determina ampliação da RAPS e inclusão de hospitais especializados e ambulatórios na rede, prevendo financiamento do governo federal também para estes serviços. Rejane Santos, além de representar pessoas com transtornos mentais e seus familiares através da AFATOM-BA, é familiar de três irmãos com esquizofrenia e refere que esta homenagem da cidade de Salvador é o ganho de mais um coração em defesa da vida, que chega neste momento em que aumenta o índice de suicídio entre os jovens. Também trás maior força para cobrar dos gestores responsabilidade de ampliar, qualificar e  implantar  serviços de portas abertas, ao invés de fechá-los.

Para Dra. Sandra Peu, médica psiquiatra com história de trabalho no SUS de Salvador, que já esteve à frente do Setembro Amarelo na Bahia e que hoje atua no Ministério da Cidadania, Dr. Antônio Geraldo sempre foi um incentivador na formação de redes de pessoas implicadas com amor e responsabilidade técnica na defesa da Saúde Mental. Durante a homenagem, teceu agradecimentos em nome dos pacientes psiquiátricos moradores de bairros soteropolitanos por conta de benefícios decorrentes de ações realizadas pelo Dr. Antônio Geraldo, tanto no estímulo ao desenvolvimento da qualificação dos profissionais de Saúde Mental pela ABP quanto pelas campanhas de conscientização, principalmente o Setembro Amarelo. Citou também a importância do apoio do homenageado para que a Associação Psiquiátrica da Bahia se mantivesse firme na defesa de serviços de atendimento para pessoas com doenças mentais do SUS.

Segundo Dra. Miriam Gorender, outra psiquiatra expoente da campanha de prevenção do suicídio, Dr. Antônio Geraldo é uma referência e um norte a seguir para combater a morte de pessoas por esta causa. Mais uma vez, ressaltou a sua importância na luta pela Saúde Mental e combate à psicofobia, relembrando sua trajetória em trabalhos voluntários.

Cezar Leite está de parabéns ao propor a honraria ao Dr. Antônio Geraldo como novo Cidadão da Cidade, acatada unanimemente por seus pares na Câmara Municipal, para dar mais força às vozes soteropolitanas àqueles que buscam fortalecer a Saúde Mental do SUS e lutar contra o suicídio.

Ascom AFATOM-BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *