Negativa do Podemos para integrar base do Governo Joaquim Neto abre perspectiva de candidatura própria

0
João Henrique Paolilo

João Henrique explicou no Programa Primeira Mão, ancorado por Paulo Ott na ausência do titular Haroldo Azi, nessa sexta-feira,20, que a adesão do Podemos ao governo municipal não prosperou em função da própria estrutura democrática da legenda. As tratativas se deram com o deputado Bacelar, presidente estadual da sigla, mas, quando foi colocada para a base em Alagoinhas, não houve acordo. João Henrique afirmou que o Podemos foi convidado para um projeto de mudança dentro da gestão, no sentido de promover as melhorias que a população reclama tanto. Mesmo assim soaria estranho para um partido oposicionista acudir um governo às vésperas de seu último ano de gestão. “Decidimos seguir ajudando Alagoinhas da maneira que vínhamos fazendo, uma oposição séria, responsável, com Alagoinhas sendo seu principal objetivo, só podemos reivindicar e clamar, infelizmente, vereador não tem a caneta”.

A decisão do Podemos abre condições para se aventar uma candidatura própria, com a possibilidade de ter o mesmo João Henrique como candidato. Ele diz que a eleição ainda está longe, mas admite que a política local necessita de renovação, citando artigo de Hugo Azi para o News in Foco ( leia aqui ), e que, caso a população entenda que seu nome incorpora esse anseio, ele estará aberto a refletir sobre esse desafio a ser enfrentado. João Henrique tem a seu favor a juventude e o histórico familiar, sendo membro de uma das famílias mais tradicionais do municipio, a familia Paolilo.

A prefeitura mesmo no fechar das cortinas ainda tem esperança de emplacar mais um empréstimo e visa a reeleição, Paulo Ott perguntou se esses não seriam os reais interesses de Joaquim Neto com vinculação articulada. O vereador do Podemos disse que, em negociações, surgem questões pontuais como estas, mas que esse não foi o objetivo do partido quando sentou para conversar. Um ouvinte questionou se o prefeito ao supostamente oferecer secretarias em troca da adesão não estaria tratando o partido como uma mercadoria. Henrique afirmou que sem um projeto maior de mudança de rumos da gestão, a negociação teria sim um caráter menor.

O comentarista Caio Pimenta perguntou se a relação do Podemos com o governo municipal será mais amistosa a partir dessas tratativas. O vereador disse que, se o governo fizer as mudanças que a população exige, naturalmente, as críticas irão diminuir e ele espera que isso aconteça, pois segundo ele o Podemos não faz aquela oposição do quanto pior melhor, no caso. “Estamos esperançosos, pelo menos o prefeito enxerga que existem falhas, que necessita fazer alterações, espero as faça pelo bem da nossa cidade”. João Henrique entende que o convite do governo ao Podemos ganhou tanta repercussão, justamente, por faltar um ano para a próxima eleição. Para ele, se fosse em outra época, seria algo normal e corriqueiro.

O vereador fala em um projeto de mudança no atual governo, o eleitor deve perguntar: Mudar agora? Será um pouco tarde ou ainda há tempo? Mais um desafio para a gestão Joaquim Neto..

Acompanhe a entrevista do vereador João Henrique(Podemos) ao programa Primeira Mão:

O Programa Primeira Mão vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 6 as 8 da manhã pela rádio Mundial 105.9 FM. O programa também é transmitido ao vivo pelo facebook, na página do site News Infoco, e pelo youtube, no canal da rádio 2 de Julho, a mais nova rádio web de Alagoinhas. Se inscreva no canal e acompanhe todos os programas, entrevistas e comentários da bancada.

Por Paulo Dias para o News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *