Conversas entre o PDT de Alagoinhas e partidos da centro-direita tem causado estranheza em setores da esquerda

0
Na foto o presidente do PDT em Alagoinhas Bruno Chaves(esquerda) posa para foto com o vereador Joa~qo Henrique Paolilo e o ex-deputado estadual Filadelfo Neto, ambos do Podemos.

A intenção do PDT de Alagoinhas de tentar formar um leque de apoios, contando inclusive com partidos fora do campo da esquerda, para viabilizar a pré-candidatura de Antonio Barreto, o popular Tonho Rato, à prefeitura, tem causado estranheza nos eleitores, em setores da esquerda. Para eles, o fato de um partido pertencente a esquerda(PDT) se predispor a conversar com partidos de uma ala teoricamente antagônica no espectro politico é uma incoerência.

A questão foi trazida ao programa Primeira Mão, da rádio Ouro Negro FM 100,5, na manhã desta terça-feira(01) pelo radialista Luciano Reis e discutido pelo restante da bancada. Os demais integrantes do programa questionaram a aversão destes críticos aos partidos que eles enxergam como pertencentes à direita. Para Haroldo Azi muitos se sentem constrangidos em se declarar de direita, e acabam se autointitulando de “centro”.

Haroldo considera essa rejeição à tendência política injustificável e questionável, pois a esquerda, segundo ele, não tem a mínima vergonha da roubalheira que foi cometida pelas lideranças desse campo, de forma constante e sistemática. O comentarista afirmou que a esquerda é que deveria ter receio de se autodenominar desse segmento, em razão dos crimes cometidos em prejuízo do país e de sua população. “Um segmento, que tem Zé Dirceu como liderança, deveria sentir pouco à vontade e, no mais, essa história de centro é um disfarce para quem não quer se declarar de direita”.

Especificamente sobre Tonho Rato, a bancada considerou que ele tem todo o direito de conversar com as forças políticas visando alianças, ainda mais que o presidente municipal de seu partido, Bruno Chaves, já declarou, inclusive, que apenas os votos da esquerda não conseguem eleger o próximo prefeito. Para os comentaristas, falar também em uma pré-candidatura a vice-prefeito de Tonho Rato é uma forma de desprestigiar o projeto político do PDT.

Caio Pimenta, em acordo com os colegas do programa, ressaltou que a esquerda tende a se dividir nas próximas eleições, pois o PDT saiu da mesa de negociações com o PSOL, o PSTU não fecha, em absoluto, com o PT e o PT dificilmente abrirá mão de uma candidatura própria como querem o PSOL e o PDT. Haroldo Azi acredita que vai haver desistências de pré-candidatos. “São 10 pré-candidatos, não é possível que todos sejam candidatos, muitos querem apenas valorizar um futuro apoio a uma legenda que já tem afinidade histórica”.

No campo da esquerda em Alagoinhas, o PT tem quadros que pontuam nas pesquisas realizadas para consumo interno por algumas legendas para prefeitura, até mesmo porque não é permitido divulgá-las. Por outro lado, o PDT quer o protagonismo da esquerda, inclusive a nível nacional, será que isso em Alagoinhas se repetirá?

Veja a discussão acerca do assunto no programa Primeira Mão:

Por Paulo Dias para o News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *