Líderes na Assembleia confirmam greve da PM e Rosemberg retira projeto que altera idade de praças

0
Foto: Sandra Travassos/ AL-BA

Apesar do comando-geral negar, os líderes do Governo e da Oposição, deputados estaduais Rosemberg Pinto (PT) e Targino Machado (DEM), confirmaram há pouco, na sessão ordinária na Assembleia Legislativa da Bahia, a greve decretada pela polícia militar.

Os dois lamentaram a decisão tomada, mas o petista minimizou seus efeitos à segurança da população baiana, já que seria adesão de apenas 300 PMs ligados à Associação dos Policiais Militares e seus familiares do Estado da Bahia (Aspra), coordenado pelo também deputado estadual Soldado Prisco (PSC). No entanto, para não ser considerado um afronta à paralisação, Rosemberg preferiu retirar da pauta de votação o projeto de Lei nº 23.489/2019, que altera a idade máxima de praça da PM de 56 para 60 anos na ativa. A matéria altera a Lei n° 7.990, de 27 de dezembro de 2001.

“Foi uma assembleia razoavelmente pequena em relação ao contigente de policiais. Na realidade é um fato como eu falei aqui isolado, secretário de Segurança Pública está neste momento já em reunião com o comando da Polícia Militar e com o delegado-chefe [da polícia civil]. As polícias continuarão nas ruas hoje, amanhã, sem alteração. É lógico que pode haver por parte desses 300 algum tipo de manifestação que faz parte da democracia, mas nada que afete a segurança da população baiana”, ponderou Rosemberg.

A notícia da paralisação da PM foi feita no plenário da Casa pelo líder da Oposição, deputado estadual Targino Machado (DEM).
“Infelizmente, eu quero fazer essa comunicação aqui inadiável pra dar ciência a está Casa de uma notícia que já está nas redes sociais à paralisação por tempo indeterminado da Polícia Militar. Lamento profundamente que as negociações no sentido de abortar essa paralisação não tivessem acontecido, porque esta é uma greve ruim pra todo mundo, notadamente para a família baiana. Sei das dificuldades que isso provoca. (…) Lamento profundamente, não faço a política do quanto pior melhor”, disse Targino que também ressaltou que chegou q conversar com o deputado Soldado Prisco (PSC) na tentativa de evitar a greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *