Juscélio Carmo deixou o jornalismo da 93 FM em resposta a comportamento inexplicável do diretor da emissora

1
Juscélio Carmo

Juscélio Carmo não pertence mais ao jornalismo da 93 FM, retirando da emissora o seu programa “De Frente com Juscélio”. Em entrevista ao programa Primeira Mão, nesta quinta-feira(07), o empresário e comunicador, com forte influência política, revelou que o motivo de sua saída da rádio se deu como uma atitude de precaução para resguardar sua relação de amizade com o diretor e proprietário da emissora, Cacau Pena. A relação amistosa entre ambos, segundo Juscélio, simplesmente deixou de existir do nada e sem motivo aparente.

Foram surgindo atitudes, segundo Carmo, que passaram a lhe gerar um desconforto constante, uma demonstração de incômodo ou com a sua presença ou com a do programa em si. O estranhamento se dá porque, no início, Juscélio tinha ampla liberdade na rádio e o diretor, além de transparecer contentamento, tinha vários projetos para o programa, tudo isso mudou repentinamente. A saída teve forte repercussão com várias pessoas insatisfeitas e demonstrando-lhe solidariedade. Juscélio tem vários convites na mesa por parte de outras emissoras. Cacau Pena parece ser o lado perdedor nessa história.

A gota d’água para o estremecimento da relação ocorreu na véspera do dia dos finados, quando o programa estava sendo exibido extraordinariamente na sexta-feira(01). Cacau prometeu a Juscélio o horário de 7 a 9h, só que o estúdio foi entregue às 7:30h, Juscélio achou que lhe dariam a meia hora, como compensação, para fechar as duas horas de programa, pois tinha agendado entrevista com Benedito Vieira e Adrião Barbosa. Resultado, não deixaram que o comunicador avançasse na reposição do tempo. Isso confirmou que, por algum motivo, o trabalho estava sendo desprestigiado.

Fazendo uma breve contextualização, a primeira medida desagradável foi mudar a dinâmica do programa de 3h no sábado, com o fatiamento para segunda, quarta e sábado, entendo-se que o Juscélio não obtinha retorno financeiro com essa atividade e que tem seus próprios negócios para gerir. O que torna explicito o constrangimento está no fato desta ter sido uma decisão unilateral. Nayla Bay, comentarista do programa, também passou por uma série de tratamentos idênticos. Ela que ajudava na produção e andamento do programa, além de municiar os jornalísticos da emissora com seu jornalismo investigativo. Enfim, um programa que era valorizado e elogiado por Cacau passou a ser tratado como um peso dentro da rádio. O que explica a mudança abrupta de Cacau Pena?

Juscélio ficou admirado com o número de ligações que recebeu de ouvintes do programa. Ele conseguiu, em pouco tempo, fazer algo inovador, jornalismo independente, investigativo e honesto, em uma cidade em que os contratos publicitários costumam ditar a linha editorial dos programas. A questão que fica em suspenso é se houve pressão ou interesse político determinando a saída do comunicador. Nos últimos programas, Juscélio vinha batendo forte na questão da Saúde municipal e duvidando da legitimidade da secretária da pasta para assumir o cargo. Juscélio trouxe outra marca para o jornalismo local, atuando na área de construção civil, ele tinha domínio técnico e conhecimento para dizer se uma obra estava sendo executada de forma correta ou não. Isso ficou muito claro em seus comentários sobre a drenagem da rua Oito de Dezembro, quando disse que a obra poderia ser significativamente mais barata com a adoção de manilhas com o diâmetro menor.

Acompanhe a entrevista de Juscelio Carmo para o Programa Primeira Mão:

 

Por Paulo Dias para o News Infoco

Uma resposta para “Juscélio Carmo deixou o jornalismo da 93 FM em resposta a comportamento inexplicável do diretor da emissora”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *