Alagoinhas não tem pré-candidatos de direita – Por Hugo Azi

0
Hugo Azi

Caros amigos leitores, o Programa Primeira Mão inicia uma série de entrevistas com os pré-candidatos à prefeitura de Alagoinhas. Na última sexta-feira, a bancado do programa relatou todos os possíveis pré-candidatos, e são eles: Joaquim Neto(PSD), Paulo Cezar(Sem partido), Luciano Sérgio(PT), Coronel Rosário(PV) Antônio Gomes(PSC) Jonathan(PTB), Antônio Morais(Solidariedade), Raimundo Barreto(PSOL), Tonho Rato(PDT), Adrião Barbosa(Rede), Dr. Silvio(sem partido), Oseas Menezes(Avante), Roberto Torres(PRB), Dr. Marcos(PP) e João Henrique Paolilo(Podemos).

Agora eu faço uma simples pergunta para vocês, quem desses nomes são autointitulados de direita? Ou que são ideologicamente voltados à direta, leia-se adepto ao pensamento liberal e/ou conservador?

Há anos o Brasil não tinha uma candidatura autointitulada de DIREITA. Alguns desinformados vão dizer que o PSDB ou PMDB, partidos que já transitaram pela presidência do país, são voltados a direita. DE JEITO NENHUM! A última candidatura realmente liberal do Brasil, pós ditadura, foi de Guilherme Afif Domingos em 1989.

Todos esses partidos são sociais-(pseudo)democratas, de inspiração socialista, que utilizam um discurso progressista para ludibriar os eleitores tanto da esquerda quanto da direita. Na verdade, o Brasil teve e ainda tem uma grande quantidade de partidos e candidatos de Centro. Aqueles que se utilizam do discurso fácil de bem-estar social e progresso fomentado pelo Estado. De um lado aqueles que se veem de esquerda e, do outro, aqueles ditos de centro (em cima do muro). Por muito tempo, ser de direita era algo visto como “ruim” e a sociedade, enganada pelo discurso fácil e mentiroso da esquerda, repulsava uma visão liberal de governo.

Com as candidaturas de Bolsonaro e de João Amoedo, na última eleição de 2018, grande parte dos eleitores brasileiros finalmente se viram representados em um programa de governo. Com propostas claramente liberais voltadas a economia de mercado e fomento da atividade empresarial.

Mas será que em Alagoinhas tem voto para a direita? Esse discurso de Bolsonaro e João Amoedo tem entrada aqui na cidade?

Para delimitar um ponto de partida, vejamos a votação de primeiro turno das eleições presidências de 2018 em Alagoinhas: Jair Bolsonaro teve 27,75% e um total de 20.628 votos, já João Amoedo obteve 0,45% e um total de 336 votos. Na minha visão, Alagoinhas detém, mais ou menos, 20.964 (vinte mil novecentos e sessenta e quatro) votos de eleitores que se identificam com a direita. Só a nível de comparação, o prefeito Joaquim Neto foi eleito com 25.684 votos na última eleição de 2016 para o executivo.

Voltando a questão dos pré-candidatos da cidade, não existe nenhum nome para prefeito que capte as necessidades e ideias desses 20.964 eleitores da cidade. Qual a solução? Não sei! Talvez algum candidato com coragem para enfrentar esse establish já encarrancado na cidade assolada pela corrupção e péssimos gestores do erário público.

Precisamos de algo inovador, corajoso e que retire a cidade das vias maléficas tanto do discurso socialista-democrata que deixa o povo mendicante com as migalhas fornecidas pelos políticos que aqui passam quanto das atividades lenientes com o sistema podre de assalto ao dinheiro público e benesses do poder.

Tal como na economia contemporânea, a política também passa por um fenômeno de disrupção, onde os fatos antecedem os conceitos e muitas mudanças podem advir.

QUEM SERÁ O REPRESENTANTE DA DIREITA NA NOSSA CIDADE? SE APRESENTEM!

Hugo Azi é advogado formado pela faculdade Ruy Barbosa, Pós-graduado em Direito Empresarial pela FGV/SP, membro da comissão de Direito Empresaria da OAB/BA e do Instituto Brasileiro de Recuperação de Empresas, além de ser colunista do site News Infoco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *