O catolicismo, a sexualidade e homossexualidade – Por Paulo Dias

0
Paulo Dias

Não sou católico, repito. Não vivo os dramas das pessoas que precisam que a igreja se atualize aos novos tempos. Esse problema definitivamente não é meu. Por que gosto do catolicismo? Porque, mesmo não sendo católico, posso frequentar as missas, essa generosidade católica é algo muito extraordinário. Por isso não entendo a angústia dos gays, que querem que a igreja aceite o casamento entre eles ou diga que não é pecado ser gay. Eu posso ser gay se quiser, sem me sentir pecador, porque não sou católico e mais, não acredito que a Bíblia seja sagrada, acredito que é um livro com bons ensinamentos espirituais e outros completamente defasados. Contudo acredito nos 10 mandamentos.

Na realidade, essa briga, essa birra entre gays, feministas e igreja católica só interessa a esquerda para fomentar a Teologia da Libertação(o casamento do catolicismo com o marxismo) como disse no artigo anterior(leia aqui). Algo como 90% dos católicos não são praticantes e estão dentro da Igreja, “pecando” adoidado. No entanto, a igreja tem poder político, os padres e líderes leigos gozam de prestígio e influenciam os votos e é isso que a esquerda quer destruir, para tal, no momento, usam,  como massa de manobra, mulheres desconstruídas e gays.

Com o crescimento dos conservadores no mundo todo, organizados agora pela força das redes sociais, torna-se urgentíssimo para a esquerda destruir esse reduto político ou pelo menos fragmentá-lo. Os gays e as mulheres feministas querem mudar a igreja para destruí-la, só para isso ou tem alguém que acredite que essa rapaziada vai seguir os dez mandamentos bonitinho? vão nada. Se a proposta fosse mudar o catolicismo com a intenção pura de serem bons católicos, tudo bem, mas a motivação não é essa, é a de avacalhar mesmo, como fez o Porta dos Fundos. Aliás, os filmes religiosos da Netflix estão cheios de mensagens da Teologia da Libertação(Dois Papas, Maria Madalena…).

Acho que a marcha natural das coisas é que a igreja aceite a relação homossexual, mas se isso vira pauta da esquerda e da Teologia da Libertação, só vai ajudar a esquerda a ganhar mais dinheiro e disseminar regimes autoritários mundo afora, sob o comando da China e da Rússia. Na verdade, a questão é muito mais simples do que se imagina. A encíclica do Papa Paulo VI de 1968 determinou que o sexo deve ser praticado apenas para a procriação, a coisa é tão louca que quase 100% dos católicos(fora os padres e freiras) vivem em pecado. Para que gays e feministas querem participar de uma religião dessa? Faz como eu, vai lá, assiste a missa e um abraço. Cada um que viva sua sexualidade como bem entender, sem a igreja nem a esquerda metendo o bedelho. Simples assim. Seja crístico, seja búdico, tenha axé é o que realmente importa.

Paulo Dias é jornalista, graduado pela UFBA, especializado em Pedagogia e mestre em Cultura e Literatura pela UNEB. Tem passagens por vários jornais e assessorias de comunicação em Alagoinhas e Salvador. Atualmente escreve para o site News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *