Juscelio Carmo diz que dinheiro do empréstimo CAF está sendo mal empregado pela prefeitura de Alagoinhas e que obras são mal executadas

0
Juscélio Carmo

Segundo Juscélio Carmo, Alagoinhas está carente de soluções e precisa sair do tempo do abraço e da campanha feita com receituário médico. Em entrevista ao programa Primeira Mão, nesta sexta-feira,24, o empresário, comunicador e notório especialista em infraestrutura urbana, mencionou dois projetos que deveriam ser priorizados pelo empréstimo tomado junto a CAF, um deles, a construção de uma avenida ligando a rua Graciliano de Freitas à rua Renato Bittencourt, criando possibilidade de expansão do centro da cidade e a integração das áreas da cidade separadas pela linha férrea.

O outro projeto seria criar uma avenida a partir de um túnel por baixo da BR 101, abrindo uma avenida no trecho de saída da cidade em direção à cidade de Araças, onde fica hoje a escola de medicina. Existe margem para o alargamento da pista e se consistiria de fato em um novo eixo de desenvolvimento do município. Ele também sugeriu que fosse construída uma praça entre o Le Boan e a antiga sede da Catuense.

Os recursos obtidos por empréstimo, incluindo a CAF, segundo Carmo, foram destinados à resolver problemas de drenagem e a pavimentar pequenas ruas. Com relação à drenagem, as enchentes mostram o fracasso das obras do governo. A avenida Rio Branco apresenta alagamentos toda vez que chove, quando foram gastos milhões em uma macrodrenagem que não funciona. Juscélio, quando a obra estava no início, detectou falhas técnicas e apontou a forma correta e mais barata de conduzir as águas de chuva, que desaguam em um valão deixado pelo governo Joseildo Ramos no fundo da inocoop I.

Para o empresário acostumado com obras públicas, foi inclusive secretário de Infraestrutura em Catu, o projeto das Poligonais, obra central do governo Joaquim Neto, se mostrou ineficiente, pois apresentou alagamento justamente nas imediações do hotel Áster. “Precisamos de gestores que entendam de nível e de esquadro e que não sentem em cima de R$ 1,5 milhão de recursos federais, enquanto mulheres sofrem com problemas de mioma”, advertiu, referindo-se à emenda parlamentar do deputado Federal Paulo Azi para cirurgias eletivas.

Outro ponto criticado pelo entrevistado foi o Silva Jardim, ponto de alagamento, monumento da incompetência petista, onde as manilhas da tão divulgada macrodrenagem ficaram entupidas de areia. Nesse governo, se recebeu recursos para a solução da rede pluvial, mas os problemas aumentaram, deixando de ser pontuais para surgir em toda a cidade. Outros assuntos foram abordados como a licitação do transporte público(ônibus) paralisada pela falta de um determinado documento, não apresentado pelas três empresas concorrentes, uma estranha coincidência para Juscélio.

A destinação de um terreno de grande valor econômico na rua Luís Viana para a construção da praça dos esportes, com recursos federais, atraídos também por Paulo Azi , foi outro erro, pois o terreno poderia ter sido vendido por um preço estimado de R$ 15 milhões. Essa venda já estava aprovada pela Câmara de Vereadores com destinação do dinheiro para a construção da nova maternidade. Nesse aspecto pode se mencionar mais uma falha petista, que construiu um anexo da maternidade em propriedade da Santa Casa de Misericórdia.

Outra utilização equivocada de terreno público de grande valor patrimonial ocorreu na instalação do IFBaiano, durante a gestão Paulo Cezar. Este contribuiria também no projeto da nova maternidade. Várias falhas cometidas no Jardim Petrolar foram mencionadas como o estreitamento das ruas pelo PT e a doação de área destinada à praça pública para a construção de um conjunto habitacional que só beneficiou determinada construtora. Lembrou do viaduto que matou a rua do Teresópolis, outra falha petista. Sugeriu também que o estádio Antonio Carneiro abrigasse serviços da Prefeitura, economizando recursos desperdiçados em caríssimos aluguéis.

Para Juscélio Carmo as gestões que passaram por Alagoinhas de 2000 para cá criaram vários pontos de alagamentos devido a construções e obras mal planejadas. Uns pecaram pela incompetência nas entregas de obras e outros além disso, sofrem com fortes indícios de corrupção, Um triste legado para a cidade. Desde de 2000 passaram pela prefeitura de Alagoinhas 3 prefeitos: Joseildo Ramos(PT), 8 anos, Paulo Cezar(Sem partido), 8 anos, e Joaquim Neto(PSD) que está no fim de seu primeiro mandato e vai buscar a reeleição.

Veja a entrevista completa concedida por Juscélio Carmo ao programa Primeira Mão:

Por Paulo Dias para o News Infoco

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *