Paulo Cezar, Joaquim Neto e PT em ritmo de campanha: processo por corrupção, solicitação de empréstimo questionado, antipetismo e trocas de camisa

3

As pré-campanhas de Paulo Cezar e Joaquim Neto já ganharam um gostinho de campanha. Ambos estão nas ruas. Joaquim batendo o seu babinha com a rapaziada e Paulo Cezar com sua equipe de marketing super profissional, a la Petra Costa, visitando as periferias. Esse é o clima político do momento, segundo a bancada do programa Primeira Mão. O PT vive a dependência de Joseíldo Ramos, por conta dele mesmo. Ele matou todas as possíveis novas lideranças do partido, como fez com as velhas: homem pequeno, ego enorme. Joseíldo além do antipetismo, maior partido do Brasil na atualidade, sofre críticas por não alavancar recursos para o município, perdendo em prestígio nesse aspecto para Paulo Cezar de quem tomou uma surra histórica nas urnas.

Nessa luta(Joaquim x PC) destacam-se os amantes do poder que eram cezistas e agora são joaquinistas como Jessé Bico de Pena, Márcio da Linha Verde e Cleto da Banana. Jessé, inclusive, participou até mesmo do governo de Joseíldo. O comentarista, Caio Pimenta, deu conta que o PL de Márcio, inclusive, passa por divisões internas pelo controle do partido a nível municipal. Para ele, o próprio Paulo Azi não dá o exemplo. Esteve com Paulo Cezar, virou Joaquim e agora voltou para o lado cezista. Porém, segundo Pimenta, Paulo Azi, também comparado a Ramos, leva grande vantagem em termos de captação de recursos, conseguiu obter R$ 75 mi em projetos para Alagoinhas, enquanto o petista comemora quando consegue uma ambulância e um rabecão usado.

Outros fatores que botam lenha na fogueira são a possível condenação por corrupção de Paulo Cezar, cuja sentença pode sair a qualquer momento, e mais outro empréstimo, em tramitação na Câmara de Vereadores, pedido por Joaquim Neto, no valor de R$ 15 mi, que é questionado por opositores por um suposto apelo eleitoreiro; Eles alegam ainda ser uma porta aberta para a corrupção, tendo em vista a falta de transparência no emprego das verbas do empréstimo em dólar da CAF, denunciada pelos vereadores de oposição. Se Paulo Cezar for condenado, predominando o antipetismo, tudo aponta para a reeleição de Joaquim Neto, a não ser que desponte um novo nome: Roberto Torres, João Henrique, Juscélio Carmo, Raimundo Barreto…

Por Paulo Dias para o News Infoco

3 respostas para “Paulo Cezar, Joaquim Neto e PT em ritmo de campanha: processo por corrupção, solicitação de empréstimo questionado, antipetismo e trocas de camisa”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *