Com cinco alterações no elenco, Atlético de Alagoinhas muda esquema de jogo para enfrentar o Bahia de Feira

0
Atlético de Alagoinhas

Com cinco alterações e mudanças no esquema tático, o Atlético de Alagoinhas entra em campo essa noite de hoje,03, para enfrentar, fora de casa, o Bahia de Feira, na Arena Cajueiro à 20:30h. A partida marca o retorno técnico Arnaldo Lira, que levou o time ao acesso à série A do Baianão, em 2018 e à conquista do terceiro lugar em 2019, no campeonato Baiano de Futebol. O adversário vem reforçado com a presença de Marquinhos, ex-Vitória e ex-Cruzeiro, recém contratado. O comentarista do programa Primeira Mão, José Gomes, revela que a grande aposta de Lira é a entrada de Paulinho, um dos destaques da equipe, no meio de campo, saindo da lateral direita. Dudu Gago assume a sua antiga posição, caso Edson, nova contratação do Atlético, que é a primeira opção, não esteja ainda regularizado para entrar em campo. Reninha, que iria atuar no lugar de Russo, substitui Magno Alves, com problemas no joelho. Espera-se que, junto com Russo, dê velocidade a equipe e, com o apoio de Vitinho, consiga o domínio de bola e que ela role mais de pé-em-pé.

Ainda não é uma preocupação, mas Magno Alves, a contratação mais badalada do time, jogou pouco pelo baiano, participando de três dos seis jogos. Espera que a má sorte vá embora e que ele seja efetivo nas três últimas partidas da fase classificatória e que seja decisivo nos jogos da semi-final e da final, caso o time alcance o desempenho que almeja seu torcedor. Alguns jogadores apresentam queda de rendimento técnico como Emerson e Carlinhos. Para Gomes, Carlinhos só fez um bom jogo contra o Jacobina, na segunda rodada do campeonato, depois produziu uma sequência de atuações pouco empolgante. Será substituído por Michel Pires. Emílio também deixou de ser o zagueiro seguro dos primeiros jogos, culminando a má fase com o gol contra no jogo com o Vitória. Naian vive problemas de incompatibilidade com a equipe técnica, não se entendeu com Paulo Sales e ainda não caiu nas graças de Lira. Em conversa reservada com Gomes, o técnico confessou que é muito difícil distinguir má fase de corpo mole, em todo caso, o que prevalece são os resultados. O profissional de futebol tem que aprender a conviver com isso.

Se o Atlético vencer hoje, conquista a vice-liderança da competição, se empatar, fica com nove pontos, mas perde a quinta colocação para o Fluminense de Feira por saldo de gols. Os três últimos jogos do Atlético são três pedreiras, Juazeirense(08/3), Bahia(22/3) e Jacuipense(29/3), este fora de casa. Gomes salientou, no entanto, que quem quer ser campeão não escolhe adversário. O Atlético, antes de entrar em campo, tem oito pontos, o Jucuipense e o Fluminense de Feira têm nove cada e o Jacuipense está com 10 pontos. São jogos difíceis, mas não tem nenhum bicho-papão. O Atlético só depende dele para se classificar e ser campeão.

Por Paulo Dias para o News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *