Forças empresariais criticam prorrogação do fechamento do comércio em Alagoinhas

1
Na foto, Benedito Vieira, presidente do Sicomercio

Dirigentes das forças empresariais e comerciantes de Alagoinhas viram com preocupação a decisão do prefeito Joaquim Neto de prorrogar o fechamento do comércio. Os comerciantes, principalmente aqueles pequenos lojistas, já enfrentam dificuldades em pagar fornecedores e arcar com os custos dos empregados sem poder vender seus produtos.

Dirigentes da classe patronal falam em traição do prefeito, que havia publicado na última sexta-feira um decreto estabelecendo a abertura do comércio, com algumas restrições. De lá pra cá, mais dois casos de coronavirus foram confirmados na cidade e o prefeito decidiu voltar atrás e prorrogar o fechamento do comércio. Prefeituras de cidades como Vitória da Conquista e Eunápolis já anunciaram que o comércio voltará a funcionar amanhã(06), com algumas restrições.

As forças empresariais criticaram sindicatos e partidos de oposição do governo municipal que tem defendido a manutenção do fechamento do comércio em Alagoinhas. As dificuldades financeiras enfrentadas pelos comerciantes tem levado alguns à beira do desespero, já que, mesmo com o retorno das atividades, é difícil dimensionar o tamanho do baque nas receitas e se será possível reverter a possibilidade de demissões.

Eles também criticaram o fato de não terem sido consultados pelo prefeito para uma conversa sobre a possibilidade da continuação do fechamento do comércio. Os empresários afirmam que a decisão foi tomada sem ouvir a opinião da classe.

Amanhã, o presidente da CDL, Bruno Fagundes, concederá entrevista ao Programa Primeira Mão, da rádio Ouro Negro 100,5 FM com transmissão simultânea pela rádio web 2 de julho. O site News Infoco também transmite o programa através de sua página no facebook a partir das 6 da manhã.

Por Caio Pimenta para o News Infoco

Uma resposta para “Forças empresariais criticam prorrogação do fechamento do comércio em Alagoinhas”

  1. Que se arrombe esse fdp véio, com certeza ele deve ter dezenas de funcionários pra servi-lo sem que ele saia de casa, já que essa porra véia e do grupo de risco. BURGUÊSES NOJENTOS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *