Assim disse Haroldo Azi “o Governo do Estado não gosta de Alagoinhas”; na pandemia do coronavírus isso está mais que evidente – Por Caio Pimenta

0
Caio Pimenta

Amigo leitor, antes de mais nada, gostaria de saudar o engenheiro e radialista Haroldo Azi que tanta falta faz ao rádio alagoinhense no comando do seu programa Primeira Mão. Digo isto, porque trago neste artigo uma fala dita por ele, justamente em seu programa, que sempre foi referencia de seriedade e credibilidade. Em uma de suas críticas aos políticos feito em seu programa, Haroldo disparou “o Governo do Estado não gosta de Alagoinhas”. Com essa afirmação, Haroldo denunciava a falta de investimentos do governo Rui Costa na cidade.

E agora mais do que nunca, temos que trazer isto à tona. O que tem feito por Alagoinhas, o governo do estado, com relação ao combate ao coronavirus?!

O governo Rui Costa anunciou no fim do mês de abril a compra de 10 milhões de máscaras para distribuir para a população baiana, e indago a você leitor, aonde estão essas máscaras que nunca chegaram ao município de Alagoinhas?

E o que falar do nosso único Hospital, o Dantas Bião, que atende a outras várias cidades e sofre com a falta de atenção e de investimentos do Governo. Número de UTIs bem abaixo do necessário, terceirização da administração do hospital com a consequente precarização das relações de trabalho. Volta e meia aqueles funcionários reclamam de atraso de pagamento e até falta de materiais básicos para desempenhar suas funções.

E o que dizer da reforma do local anunciada pelo Governo, aproveitando em parte estruturas antigas, fazendo que seja bastante questionável a qualidade da obra.

Leitos de UTIs para o combate ao coronavirus?! Nenhum foi criado desde o incio da politica de isolamento no município. Teve que um hospital particular, o HCA, construir um hospital de campanha com 20 leitos de UTI completamente equipados. Hospital de Campanha que está fechado, porque até hoje o Governo do Estado não firmou um convênio com a instituição para que esses leitos possam ser utilizados via SUS.

Além de não se preocuparem com os leitos de UTI, querem impor um lockdown em toda a região, impondo ao comércio prejuízos incalculáveis. E a Bahia que já possui 2 milhões de desempregados ligados diretamente a crise da pandemia pode ter ver esse número salta ainda mais.

O Governo do estado não quer trazer o reforço ao sistema de saúde, mas quer trazer a miséria para o povo. Querem instituir um lockdown, sem sequer tocar em uma plano de reforço no nosso sistema de saúde.

Enquanto o Rio de Janeiro e São Paulo programam a retomada das atividades econômicas, para Alagoinhas é imposto o contrário.

Na incapacidade de provar de forma séria a falta de investimentos no sistema de saúde do município, o Governo do Estado tenta marginalizar aqueles que querem evitar a miserabilidade da população, à despeito de uma politica que tem demonstrado ineficácia.

Um Governo que pagou adiantado mais de 40 milhões de reais por respiradores que nunca chegaram, que é investigado pela Policia Federal por supostas irregularidades na compra desses respiradores, não tem condições morais de impor a um povo, sem escuta-lo, sem entender as suas necessidades e seu clamor, qualquer tipo de restrição.

Enfim, Alagoinhas precisa de um Governo que o ame.

Escrito por Caio Pimenta, bacharel em Direito, radialista, comentarista do Programa Primeira Mão da rádio Ouro Negro FM 100,5 FM e rádio 2 de Julho. Ele também é editor-chefe do site News Infoco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *